logo
logo

Category : Matutando

11 abr 2017
Malassombro e desenraizamento

“Malassombro” e desenraizamento

Lúcio Verçoza Que cheiro da terra molhada e eu sem poder plantar Teotônio Vilela segue cercado de cana. Os trabalhadores também prosseguem, apesar do medo da doença, mesmo com medo das máquinas colheitadeiras, do desemprego e, alguns, com medo de assombração. Matutando um pouco sobre essas questões, talvez os “malassombros” não tenham nada de irreal, isso tanto por ele remeter a um momento real que precedia o desenraizamento (da infância camponesa sem energia elétrica e ouvindo os mais velhos contando […]

15 jan 2017
cicatriz

Cicatriz

Lúcio Vasconcellos de Verçoza Era dia de lua cheia. A presença dela clareava ainda mais a tarde sem nuvens. O  velho Freitas balançava na cadeira. Seu neto, sentado ao lado, olhava para a réstea de  cerrado no canto do horizonte. Os dois estavam calados. Com a lua, testemunha, eram  três em silêncio. Só a cadeira falava, com um som na ida e outro na volta do seu  balanço. Até aí tudo ia dentro do habitual. Porém, o rabo do cerrado, […]

01 nov 2016
o direito ao aborto

O direito ao aborto

Por Jaime Pinsky, historiador e editor, professor titular da Unicamp, livre docente  da USP, autor de História da Cidadania, entre outros livros. O fogo. A roda. A agricultura. As cidades. As manifestações artísticas. A criação  dos deuses. O monoteísmo ético. A filosofia. A capacidade de resolver conflitos  sem recorrer à violência. A atenção às crianças e aos idosos. O respeito às  mulheres. Todos eles foram conquistas da civilização.  O processo que ocorre com a humanidade pode também se dar com […]

01 out 2016
roça

Lembranças da roça suscitadas pelo tempo presente

Maria Aparecida de Moraes Silva Hoje, ao acordar, veio-me à memória, a imagem de Mané Ciço (Francisco), homem preto, filho de criação de meus avós paternos, lá naquela roça, pelos idos dos anos de 1940. Tinha um  semblante sereno e um dom especial para tocar sanfona (acordeom). Recebera uma pequena gleba de terra de meus avós,  para plantar suas roças de subsistência. Na verdade, era uma terra  de brejo e capoeira. Dotado de uma força enorme, roçou o mato,  derrubou […]

01 jan 2015
caña

El trabajo en la caña no es dulce como el azúcar*

Maria Aparecida de Moraes Silva Brasil es un país que presenta una producción agrícola considerada una de las más grandes del mundo. En 2014, la producción, en milliones de toneladas fue de 85 de soya; 53,2 de maíz; 2,8 de café; 716,8 de caña de azúcar; 39, 2 de frutas. Sin embargo, esta producción de commodities esconde una gran explotación y miseria de miles trabajadores y trabajadoras. Además de la precarización del trabajo, de la migración, muchos de ellos son […]

01 jan 2014
um conto

Um conto muito pouco contado

Lúcio Verçoza Nesse dia, Juarez levantou-se com ódio. – Eu vou acabar com todas as canas – repetiu Juarez a si próprio. Mal havia dormido na noite anterior. O choro de sua criança buchuda foi como um martelo batendo imagens que, em vão, ele tentava afastar da sua cabeça. Comeu o cuscuz seco e calado, enquanto repetia mentalmente a mesma frase em busca de fortalecer a sua decisão. Chegou ao eito antes do sol que ameaçava raiar. Amolou o facão […]

01 jan 2013
Malassombro e desenraizamento

Matutando…

Maria Aparecida de Moraes Silva A imagem que nos serve de inspiração é obra do ceramista Ulisses Mendes, cronista e morador de uma cidadezinha do Vale do Jequitinhonha/MG, Itinga, cujo IDH é um dos mais baixos do país (0,452). Itinga foi escolhida em 2002, pelo então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para ser o marco do Programa Fome Zero. A imagem é o retrato das mulheres do Vale do Jequitinhonha cujos maridos migram para outras terras em […]